30 de janeiro,dia da saudade.
Quando eu descobri que “saudade” era uma palavra nossa para designar um sentimento tão universal,eu tive certeza que eu não podia ter nascido em nenhum outro lugar .
Como significar o mundo sem essa  palavra tão importante no vocabulário?
Eu sou um emaranhado de saudade desde que nasci.
Sinto saudade do que eu vivi e do que nem vi.
Apesar de saber o perigo de viver retrospectivamente,eu sofro mesmo quando  não a sinto…
Porque o tormento da saudade têm sido muito  poético e fecundo na minha vida.
Quer dizer que tive momentos tão dignos a ponto da minha memória querer eternizá-los.
Conheci seres tão completos que a vida tem  se tornado cada vez mais inspiradora.
Vi coisas tão incríveis que o corpo todo pede por um retorno…
Por que sinto saudade -y otras cositas más – eu voltei a escrever aqui.
Com cara nova,florzinhas e regularidade [ou não]
E com um desejo sincero que todos vivam momentos que deixem saudades…mas das saudades gostosas!Daquele tipo que faz você sorrir espontaneamente no ônibus de volta pra casa…

Vamos ao som de Marisa com “A sua” para embalar a delicadeza do dia…